Um espaço aberto à opinião desde que respeite a opinião dos outros.

18
Jan 07

Um grupo de cidadãos  de Estremoz, promove uma conferência subordinada ao tema

“Pela VIDA e o referendo do ABORTO” em que será orador o Dr. ANTÓNIO BAGÃO FÉLIX,

no próximo dia 26 de Janeiro,  pelas 21,30 horas, no Teatro Bernardim Ribeiro em Estremoz.

publicado por . às 23:22

Embora a minha posição pessoal, seja pelo SIM, eu divulgo esta iniciativa do NÃO, numa posição de divulgação de actividades, que se vão fazendo em Estremoz.
. a 18 de Janeiro de 2007 às 23:27

De MOVIMENTO CIDADANIA E RESPONSABILIDADE a 22 de Janeiro de 2007 às 19:19
Soubemos deste blog, por um membro pertencente ao nosso movimento e comentamos da seguinte forma: Devem-se estar a esquecer, de quantos milhões de assassinatos houveram no tempo da inquisição. Aquele tempo em que a Igreja impunha as suas vontades e as suas leis. Aquele tempo em que se condenava à morte uma mulher porque se desconfiava que tinha traído o esposo. Aquele tempo em que se matava, porque não se era religioso. Agora, pois agora esquecem-se de que a Igreja tem um Estado, o Vaticano, por sinal o Estado mais rico do mundo. E pergunto, quantas mortes assistem-se diariamente por este mundo fora, de fome principalmente , sem que a Igreja intervenha monetariamente para os ajudar? Quantas crianças são molestadas sexualmente por padres e membros da Igreja, cuja sociedade os protege porque se dizem representantes de Deus? Façam-me um favor, Ponham esse Senhor no seu lugar, não intervenha com falsos moralismos em tem à ticas que não lhe diz respeito. Excomungar um fiel porque votou SIM? E como é que esse Senhor sabe que o fiel votou SIM? Alguém me explica? O Clero, ao não poderem ser pais, jamais compreenderão o significado da palavra família , porque a família não se faz de palavras bonitas e pedagogias , a família faz-se de pão à mesa, roupa lavada, conforto, educação, saúde etc. E tudo isto custa dinheiro senhor Cónegos cónego Tarcísio Alves sabe o que é sustentar uma família ? sabe as dificuldades que as famílias passam? Senhor cónego Tarcísio Alves, chame os fieis à sua igreja e deixe-se de falsos moralismos, porque temos a certeza que algures em algum lugar, alguém tem uma história sua para contar e sabe porque? porque ninguém é perfeito e o Senhor certamente também não o é. Basta ser humano.
Movimento Cidadania e Responsabilidade






De movimento cidadania e responsabilidade
MOVIMENTO CIDADANIA E RESPONSABILIDADE PELO SIM
No total, este movimento conta com 91 mandatários, além do apoio de nomes de todos os sectores sociais e ideológicos, como a escritora Agustina Bessa-Luís, a estilista Ana Salazar, a apresentadora Bárbara Guimarães, o juiz desembargador Eurico Marques dos Reis, o actor Rogério Samora, o escritor Rui Zink e a da artista plástica Paula Rego.
O grupo agrega pessoas pró e contra a prática do aborto, mas que concordam num ponto: nenhuma mulher deve ser penalizada por interromper voluntariamente a gravidez nas primeiras dez semanas.
No manifesto do movimento pode ler-se que “está em causa o respeito pela dignidade, autonomia e consciência individual de cada pessoa e pelos princípios da igualdade e da não discriminação entre mulheres e homens”.
“A sujeição das mulheres a processos de investigação, acusação e julgamento pelo facto de fazerem um aborto atenta contra os valores da sua autonomia e dignidade enquanto pessoas humanas” refere o documento, cujos subscritores defendem que tanto mulheres como homens, têm direito à reserva da intimida de da vida privada e familiar.
E apontam o princípio da separação entre a Igreja Católica ou qualquer outra confissão religiosa e o Estado como “elemento essencial do Estado de Direito”.
Movimento Cidadania e responsabilidade






De MOVIMENTO DEMOCRÁTICO DE MULHERES
MOVIMENTO DEMOCRÁTICO DE MULHERES
O Movimento Democrático de Mulheres (MDM) apela aos eleitores para que estes afirmem, com o seu voto pelo “sim”, que é chegada a hora de devolver às mulheres o direito de decidir sobre a sua saúde sexual e reprodutiva, sem juízos de terceiros, sem sequelas físicas e psicológicas e sem vergonhas ou medos.
Para este grupo de cidadãs, torna-se indispensável dar uma resposta favorável à despenalização da IVG nos moldes em que é formulada na pergunta do referendo, considerando intolerável que o nosso país se mantenha à margem, nesta problemática, das orientações internacionais das Nações Unidas, da Organização Mundial de Saúde e do Parlamento Europeu.
Este grupo de eleitoras contesta igualmente o facto de Portugal continuar a ver as mulheres que interrompem a gravidez como criminosas, lembrando que, na maior parte do globo, as leis vão no sentido da despenalização
Anónimo a 23 de Janeiro de 2007 às 21:51

estes senhores e senhoras destes movimentos cícvicos e de cidadania têm algumas coisa engraçadas com o devido respeito. não vou entrar em polémicas, mas só queria referir em relação a tudo o que comentaram. sejam honestos e esclareçam as pessoas com sinceridade. despenalizar é uma coisa, permitir a liberalização total do aborto é outra. e a maior parte dos movimentos do sim não dizem tudo, porque lhes interessa a dúvida.
fiquemos por aqui e vão ouvir a conferencia que não é essencialmente sobre o aborto, MAS SIM PELA VIDA.
antonio jose garcia a 24 de Janeiro de 2007 às 11:12

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.