Um espaço aberto à opinião desde que respeite a opinião dos outros.

25
Jan 06

Governo intensifica oferta


Escolas secundárias vão ter mais cursos técnicos para diminuir abandono escolar 25.01.2006 - 09h43 Lusa


O Governo vai aumentar a oferta de cursos de especialização técnica no ensino público, que vão funcionar nas escolas secundárias, através de um investimento de 12 milhões de euros. O protocolo que cria esta parceria vai ser assinado hoje e a primeira escola a receber os novos serviços é a Secundária de Marquês de Pombal, em Lisboa, onde funcionará o Centro Protocolar de Formação Profissional de Jornalistas (Cenjor). De acordo com fonte da tutela, ao alargar a oferta deste tipo de cursos nas escolas públicas, o Governo pretende em 2010 ter metade das turmas a funcionar em "cursos vocacionais" e outra metade na via geral de ensino. Ambas dão acesso ao ensino superior. Pretende-se também "reactivar edifícios escolares de referência que têm boas instalações, mas estão sem alunos", adiantou a mesma fonte, explicando que o Ministério da Educação quer "contrariar esta tendência [redução de alunos] aumentando a oferta a nível nacional". O primeiro passo desta conciliação de estratégias entre a tutela e o Instituto do Emprego e Formação Profissional (IEFP) será dado hoje com a assinatura de um protocolo entre o IEFP e a Direcção Regional de Educação de Lisboa. O protocolo diz respeito às instalações da Escola Secundária de Marquês de Pombal, em Lisboa, parte das quais serão recuperadas e cedidas para que ali passem a funcionar os cursos do Cenjor. A assinatura do protocolo vai decorrer na escola e será presidida pelos ministros da Educação, Maria de Lurdes Rodrigues, e do Trabalho, José António Vieira da Silva. A antiga escola industrial, construída para receber 1300 alunos, acolhe neste momento apenas 400 estudantes e o protocolo vai permitir reactivar uma fracção das instalações. De acordo com a mesma fonte, as escolas públicas que vão receber os cursos vocacionais vão ser reapetrechadas com uma verba de 12 milhões de euros para o ano lectivo 2006/2007. Para tal, estes "cursos vocacionais" vão também funcionar em instalações de uma outra escola pública de Lisboa, na escola Rainha D. Leonor, em Estremoz, e num outro estabelecimento de ensino público do Porto, a escolher entre duas escolas candidatas: Oliveira Martins e Infante D. Henrique. No ano lectivo de 2005/2006 foram criadas 40 novas turmas de cursos vocacionais e este ano lectivo o Ministério pretende criar mais 100. Para compilar toda a oferta a este nível, tanto por parte do Instituto de Emprego como do Ministério da Educação, ficará disponível até final do segundo período (Março/Abril) um guia de ofertas para as famílias, para que os país saibam quais os cursos vocacionais disponíveis na sua área de residência


in "Público" 25/01/2005


Será desta que deixam de parte a ideia mégalomana de demolirem as oficinas de mecânica da Escola Industrial e Comercial de Estremoz ?


Esperamos que sim.


publicado por . às 16:02

Pode-se ler hoje no PÚBLICO: "Escolas secundárias vão ter mais cursos técnicos para diminuir abandono escolar"____________
"Para tal, estes "cursos vocacionais" vão também funcionar em instalações de uma outra escola pública de Lisboa, na escola Rainha D. Leonor, em Estremoz, e num outro estabelecimento de ensino público do Porto, a escolher entre duas escolas candidatas: Oliveira Martins e Infante D. Henrique."________Parece que alguem se mexeu e felizmente não se concretiza-se o disparate de destruir as instalações das oficinas. Garanto, de fonte segura, que quem se mexeu não foi o Deputado do PS José Alberto Fateixa.
António José Pinheiro Mourato
</a>
(mailto:antonio__jose@sapo.pt)
Anónimo a 28 de Janeiro de 2006 às 22:25

Este assunto já vem de há uns tempos atrás. Vejam os comentários em: http://blogs.sapo.pt/comentar?entry_id=782522 (http://blogs.sapo.pt/comentar?entry_id=782522)
Agora por favor o seu a seu dono. Se houve alguém que se mexeu esse alguém não foi o Aparelho do Partido Socialista de Estremoz. Esse está demasiado ocupado com a distribuição de lugares de chefia no Municipio.
AJPM
AJPM
</a>
(mailto:a_j_p_m@sapo.pt)
Anónimo a 28 de Janeiro de 2006 às 22:24

Sem querer estar a fazer política, penso que os louros vão inteirinhos para a Câmara Municipal de Estremoz e para o seu Presidente.Magalhães
</a>
(mailto:Magalhaes@yaho.com)
Anónimo a 28 de Janeiro de 2006 às 21:21

escrevo o mesmo que escrevi no gadanha, para animar: quem primeiro merece os parabéns é quem teve a ideia de voltar a haver cursos técnicos, a nível do secundário. das maiores aberrações da esquerda no nosso país, foi acabarem com os cursos técnicos. 32 anos depois aja alguém com inteligência. somos um país de doutores e engenheiros desempregados ou a fazerem coisas para as quais os cursos nada servem, e às vezes são demais. já devem estar a cortar na casaca, mas com isto não estou a defender as elites, nem a dizer que não deve haver igualdade de oportunidades para todos. o que estou a dizer é que existem muitos licenciados que não trabalham para o que estudaram, e principalmente, aqui sim, muitos estudaram e do que estudaram ficou zero. são maus profissionais sem vocação nem estrutura para os cursos que têm; e estes a trabalhar, e a fazerem as burradas de que todos os dias temos notícias.não é preferível termos um bom técnico em electricidade do que um engenheiro electrotécnico de fato e gravata, e que é burro? não é preferível ter um bom contabilista com bases sólidas (do nosso tempo) do que um economista, daqueles que têm ajudado a enterrar o país? bem, ainda bem que estremoz é contemplada, agora vamos ver com que cursos e com que curriculums. ainda é cedo para deitar foguetes. só repito, para ser medida do ps até admira. (quando o paulo portas falou nisto toda a gente lhe chamou nomes, porque terá sido?) albino desculpa lá o espaço ocupado. mas já agora alguém de esquerda que rebata o que escrevi. vamos animar o debate. vidosim
</a>
(mailto:vidosim@sapo.pt)
Anónimo a 26 de Janeiro de 2006 às 15:02