Um espaço aberto à opinião desde que respeite a opinião dos outros.

16
Fev 06
É assim hoje, um poema que dedico a mim próprio neste espaço, pois é o meu dia de natal, sendo admirador da poesia de José Carlos Ary dos Santos, nada melhor que este poema, para ilustrar o dia 17 de Fevereiro de 2006.

Tu que dormes a noite na calçada de relento
Numa cama de chuva com lençóis feitos de vento
Tu que tens o Natal da solidão, do sofrimento
És meu irmão amigo
És meu irmão
E tu que dormes só no pesadelo do ciúme
Numa cama de raiva com lençóis feitos de lume
E sofres o Natal da solidão sem um queixume
És meu irmão amigo
És meu irmão
Natal é em Dezembro
Mas em Maio pode ser
Natal é em Setembro
É quando um homem quiser
Natal é quando nasce uma vida a amanhecer
Natal é sempre o fruto que há no ventre da Mulher
Tu que inventas ternura e brinquedos para dar
Tu que inventas bonecas e comboios de luar
E mentes ao teu filho por não os poderes comprar
És meu irmão amigo
És meu irmão
E tu que vês na montra a tua fome que eu não sei
Fatias de tristeza em cada alegre bolo-rei
Pões um sabor amargo em cada doce que eu comprei
És meu irmão amigo
És meu irmão
Natal é em Dezembro
Mas em Maio pode ser
Natal é em Setembro
É quando um homem quiser
Natal é quando nasce uma vida a amanhecer
Natal é sempre o fruto que há no ventre da Mulher

Intérprete: Paulo de Carvalho
Música: Fernando Tordo
Letra: Ary dos Santos


Apenas uma nota gostaria de deixar à reflexão do Estremoz em Debate:
Como pode haver tanta FOME?

lut con fome.jpg
(montagem de imagens extraidas dos seguintes sites webciencia, paisano, cidadaodomundo, movrevport, mario.gusmao, fcsh.)

Se o PIB (Produto Interno Bruto) de todos os países do mundo, fosse repartido equitativamente por todos os habitantes do planeta azul, daria a módica quantia de trezentos mil escudos, digo mil e quinhentos euros por mês a cada cidadão, o que seria a verdadeira distribuição dos lucros, assistindo a uma verdadeira globalização na qualidade de vida, no entanto é utópico falar desta distribuição, não estou a ver que se mudasse a mentalidade dos seres humanos, ao ponto de seguirem tão nobre ideal para o bem estar da comunidade mundial. Basta que vejamos as diferenças que existem ao nível da CEE e até ao nivel da peninsula ibérica, em que hoje em dia os cidadãos Espanhois com um nível salarial superior ao nosso, têm os produtos de primeira necessidade a baixo custo, justificando a saida de muitos Portugueses ao fim de semana, para efectuarem compras do outro lado da fronteira, devido à diferença de preços compensar a deslocação.
publicado por . às 23:09

Caro albino apetece-me responder assim, espero que não te zangues: PEDI AO DEUS MENINO/ UM DIA NO NATAL/ QUE TRAÇASSE O DESTINO/ DESTE NOBRE PORTUGAL/ QUE ABRISSE UMA BANDEIRA/ ABERTA AO MUNDO EM FLOR/ PAR`ALÉM DA FRONTEIRA/ DE VERDE E RUBRA CÔR/ PEDI QUE O MEU CAMÕES/ RIMASSE O LUSO IRADO/ Á FORÇA DOS PADRÕES/ QUE DEIXOU POR TODO O LADO/ QUE ERGUE-SE NOVAS VELAS/ PARA ENFRENTAR O MAR/ QUE AS NOSSAS CARAVELAS/ VOLTASSEM PRA CONQUISTAR. As caravelas somos nós, o mar espera-nos porque o futuro já não demora e a tisteza e a fome só subsistirão se nós homens nos fechar-mos no nada que somos ou temos convencidos do muito que temos ou somos. abraços José Gonçalezjosé gonçalez
(http://josé gonçalez)
(mailto:gonçalez.josé@mail.telepac.pt)
Anónimo a 18 de Fevereiro de 2006 às 02:30

não sei se estarei a acertar, mas como me palpita, envio um GRANDE ABRAÇO AMIGO SINCERO DE PARABÉNS. o que nos divide a política, aproxima-nos a amizade. e não sejas tão triste... um pouco ao "teu" triste poema, contraponho a parte final de outro poema, de que gosto bastante, do David Mourão Ferreira; acho-o mais sintonizante com a nossa maneira de estar.
Natal, e não Dezembro
...Entremos, dois a dois: somos duzentos,
duzentos mil, doze milhões de nada.
Procuremos o rasto de uma casa,
a cave, a gruta, o sulco de uma nave...

Entremos, despojados, mas entremos.
Das mãos dadas talvez o fogo nasça,
talvez seja Natal e não Dezembro,
talvez universal a consoada.
ajgarcia
</a>
(mailto:ajgarcia@sapo.pt)
Anónimo a 17 de Fevereiro de 2006 às 14:23

Agradecemos a publicidade colocada no seu blog ao ENCONTRO DE BLOGS EM ALVITO a 22 de ABRIL. Teríamos muito gosto que também estivesse presente nesta confraternização. Podemos contar consigo? Um abraço.(Vou linká-lo no "Beja")lumife
(http://bxalentejo.blogspot.com)
(mailto:lumife@sapo.pt)
Anónimo a 17 de Fevereiro de 2006 às 00:07