Um espaço aberto à opinião desde que respeite a opinião dos outros.

23
Set 05
IMAG0052.JPG


A escola Secundária de Estremoz teve o seu nascimento corria o ano de 1924, adoptando o nome de: Escola de Artes e Ofícios de Estremoz. Localizada  no primeiro andar do edifício onde se encontra actualmente o Museu Municipal Prof. Joaquim Vermelho. Os seus professores  à altura, exerciam gratuitamente.


Nos anos trinta adquiriu o estatuto de Escola Industrial e mudou de instalações para a Rua da Pena, onde se situa hoje em dia o Centro Paroquial de Santa Maria, sendo atribuído como designação à escola o nome de: Escola Industrial António Augusto Gonçalves.


Nos finais dos anos quarenta início dos anos 50, eis que se muda de novo para o largo do castelo, agora para a antiga sala de armas de D. João V, ai ficando até 1964 tendo nesta altura cerca de 500 alunos.


O actual edifício foi inaugurado no dia 13 de Abril de 1964, embora estivesse concluído desde 1962,  adoptou o nome de Escola Industrial e Comercial de Estremoz.


Com os anos setenta muda de nome para Escola Secundária de Estremoz, após a anexação da Secção Liceal de Estremoz do Liceu Nacional de Évora.


Em 1987 volta a mudar de nome para o que hoje ostenta e passa a chamar-se Escola Secundária Rainha Santa Isabel. (este texto foi baseado na história da escola)


O porquê de todo este texto?


É que com agrado reparei hoje na montagem duma grua no espaço da Escola, dai ser levado a pensar que finalmente a escola vai ser concluída ao nível do seu edifício central quarenta e um anos depois de ser inaugurada. Peca por ser tarde mas como se costuma dizer mais vale tarde que nunca. Ao que pude apurar serão mais dez salas de aulas e no R/C será uma área polivalente.



 




publicado por . às 12:32

Pode-se ler hoje no PÚBLICO: "Escolas secundárias vão ter mais cursos técnicos para diminuir abandono escolar"____________
"Para tal, estes "cursos vocacionais" vão também funcionar em instalações de uma outra escola pública de Lisboa, na escola Rainha D. Leonor, em Estremoz, e num outro estabelecimento de ensino público do Porto, a escolher entre duas escolas candidatas: Oliveira Martins e Infante D. Henrique."________Parece que alguem se mexeu e felizmente não se concretiza-se o disparate de destruir as instalações das oficinas. Garanto, de fonte segura, que quem se mexeu não foi o Deputado do PS José Alberto Fateixa.
António José Pinheiro Mourato
</a>
(mailto:antonio__jose@sapo.pt)
Anónimo a 25 de Janeiro de 2006 às 15:32

O AJPM TEM RAZÃO. ANDAMOS A BRINCAR? ANDÁMOS A BRINCAR OU SEMOS BRINCALHÕES?AJPM TEM RAZÃO
</a>
(mailto:OMOLAVAMAISBRANCO@IOL.PT)
Anónimo a 31 de Outubro de 2005 às 19:39

O Dr. Moisés quem o conhece sabe que é "laranja" e com este governo PS, o Sr, xupa no dedinho e tal. Luise
</a>
(mailto:luiselouka@mkb.com)
Anónimo a 28 de Outubro de 2005 às 01:07

Estas obras, não sei se sabem, mas estão a perturbar e de que maneira o normal funcionamento da escola. O ruído é ensurdecedor, os alunos não ouvem os professores e vice-versa. Mais uma mostra do ensino em Portugal, e particularmente em Estremoz, no seu "melhor"! Aqui a comunicação fica para depois, os alunos para depois, o ensino que espere porque está óptimo e as obras teêm que ser agora, pois antes foram as férias de três meses, mas não houve tempo. Para isto tenho uma proposta: Vão todos de férias mais uns meses, incluído o concelho executivo,ou passivo, e fechem a escola para obras. Pode ser que subam uns lugares no ranking/performance das escolas nacionais. luis condinho
(http://+++++++++++++)
(mailto:luiscondinho@sapo.pt)
Anónimo a 30 de Setembro de 2005 às 22:00

O Dr. Moisés, tem espaço aberto caso queira responder. o espaço é seu!entejo
</a>
(mailto:entejo@sapo.pt)
Anónimo a 29 de Setembro de 2005 às 22:27

O Dr. Moisés terá uma palavra a dizer. Porque não questioná-lo sobre o assunto.Marco G.
</a>
(mailto:marcogal@gmail.com)
Anónimo a 29 de Setembro de 2005 às 22:03

precisamos de um advogado já, que seja dos "nossos" do empo da EICE, que faça uma providência cautelar já.vidosim
</a>
(mailto:vidosim@sapo.pt)
Anónimo a 26 de Setembro de 2005 às 12:26

O que vai ali ser criado pouca gente sabe! Acerca da destruição do espaço ocupado pelas oficinas da Escola Secundária (antiga Escola Industrial e Comercial), parece que para construir um pavilhão desportivo, uma coisa sei: é que apareceu há tempos uma fotografia no "Brados do Alentejo" de um secretário ou outro tipo qualquer (de um dos últimos governos - parece que do desporto ou de outra coisa qualquer) a assinar um protocolo para o efeito ao lado do Mourinha. Não posso deixar de perguntar o Homem (Mourinha) sabia mesmo o que é que estava a fazer?António José Pinheiro Mourato
</a>
(mailto:nv082621@netvisao.pt)
Anónimo a 25 de Setembro de 2005 às 01:58

Mas o que é que se vai ali criar?Alem
</a>
(mailto:alem@hotmail.com)
Anónimo a 24 de Setembro de 2005 às 17:16

Infelizmente concretiza-se o disparate de destruir as instalações das oficinas, que mais do que um marco como escreve o "vidosim", são um espaço que ainda está a tempo de ser rentabilizado. Recordo-me de um artigo chamando a atenção para esta problemática há pouco tempo publicado no Jornal "Brados do Alentejo" por Joaquim Leonardo Robalo. Parece que ontem (sexta dia 23) o Sócrates mandou a boca na televisão que os cursos técnicos vão voltar. Então os Socialistas de Estremosz o que dizem? O Deputado José Alberto Fateixa o que faz? Como é? Andamos a brincar? Irão mesmo ser pedidas responsabilidades sobre o atentado que se está a cometer se o mesmo for concretizado. Quem esteja documentado para levantar de imediato uma Providência Cautelar que o faça.António José Pinheiro Mourato
</a>
(mailto:nv082621@netvisao.pt)
Anónimo a 24 de Setembro de 2005 às 02:54